Contactos

Visitas

130736
Hoje
Ontem
Semana
Semana passada
Mês
Mês passado
Total
86
154
240
119341
3625
5034
130736
Seu IP: 54.156.47.142
Data: 2017-09-26 12:43:45

Loja olx

T-shirt4you

T-shirt4you

T-shirt4you

T-shirt4you

O EFEITO PIEZOELÉCTRICO E OS RELÓGIOS DE QUARTZO

Publicado em 28-12-2015 Visitas: 670

Categoria: Mineralogia

relogioquartzoO efeito piezoeléctrico (do grego piézo, que significa apertar, comprimir) consiste na polarização eléctrica causada por uma deformação mecânica (uma compressão) no corpo de um cristal como é, por exemplo, o cristal de quartzo. Este é o efeito piezoeléctrico directo e tem lugar sobre qualquer lâmina deste mineral, talhada em qualquer direcção, excepto a paralela ao eixo de simetria de grau 3 (via de regra, o alongamento). É como se, para melhor compreensão, cortássemos uma rodela de chouriço menos ou mais enviesada. O inverso ou recíproco deste efeito consiste em obter uma deformação dessa lâmina sempre que se lhe aplica, nas duas faces opostas (revestidas de uma película condutora, ouro, por exemplo), dois polos de um campo eléctrico. Se esse campo for alterno, a lâmina vibra (pulsa) com uma amplitude proporcional a ele. Este efeito foi muito utilizado nos sonares que ficaram na história da I Grande Guerra (1914-1918) e, a partir da década de 70, nos popularizados relógios de quartzo, de baixo custo, numa invasão do mercado, substituindo em grande número os relógios mecânicos, accionados por mola e corda.


Para aplicação nos relógios, o cristal é cortado de forma a produzir vibrações que, mediante um conjunto de operações adequadas, são gradoras de impulsos, ao ritmo de um por segundo, regulador do movimento dos ponteiros.


Acontece que a maioria dos cristais de quartzo criados na natureza tem particularidades cristalinas (maclas e defeitos na estrutura atómica) que perturbam o dito efeito piezoeléctrico. Assim sendo, a procura de quartzo isento de maclas e de defeitos estruturais ao nível da rede cristalina foi determinante na procura do quartzo obtido artificialmente, o chamado “quartzo sintético”. A síntese deste mineral consiste em fazer crescer um pequeno fragmento de quartzo natural muito puro e não maclado, a servir de germe, no seio de um soluto aquoso sobressaturado de sílica. O primeiro ensaio laboratorial teve lugar em 1905, a partir de uma solução de 1,9% de silicato de sódio (Na2SiO3) e 12,7% de cloreto de sódio (NaCl), no interior de uma autoclave. O esforço de guerra (1914-1918) determinou a produção industrial de quartzo sintético. Nos anos que se seguiram, esta produção cresceu enormemente em resposta às múltiplas solicitações das tecnologias electrónicas, com destaque para os já referidos relógios de quartzo, os computadores, os radiotelefones, os receptores de televisão, etc. Praticamente, todo o quartzo piezoeléctrico usado nestas em outras indústrias é sintético


A piezoelectricidade foi descoberta em França, por Pierre e Marie Curie - o efeito directo, em 1880, e o inverso, um ano depois.